.

 

 


CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE


 

 

 

Importante reunião foi realizada no dia 30/04 na Casa da Cultura. A pauta foi definida pelo Conselho de Meio Ambiente e os assuntos tratados entre outros foram: Restruturação do Conselho de Meio Ambiente, ações ambientais e decisão final a respeito das Árvores da Praça Ruy Barbosa – que inclusive uma delas deverá sofrer supressão.

A reunião foi organizada pelo atual presidente do CONDEMA,  Raphael Emilio Lemos,  Mateus George (Diretor de Meio Ambiente) e contou com a participação de conselheiros e convidados.

Na primeira votação, a respeito da alteração da Lei Nº 689 de 12/11/2015 no que diz respeito sobre a restruturação das cadeiras do conselho, foi destacado de forma que essa alteração fique mais voltada para a população e setores da cidade que realmente tem interesse na temática ambiental compõe o Conselho.

A segunda votação foi a respeito das condições das árvores da Praça Ruy Barbosa, que foi realizado pela empresa AMBIENTAL CONSULT. De acordo com o laudo foram analisadas 5 espécies as quais passaram por avaliação fitossanitária, sendo constatado de uma forma geral que elas estão comprometidas, apresentado riscos à integridade física das pessoas que passam pelo local ou frequenta a praça.

As árvores tornam-se mais sujeitas às injúrias. Desta forma, de acordo com a avaliação apresentada e o valor afetivo das espécies para a população da cidade de Igarapava sugeriu-se 3 situações para solucionar o impasse da retirada/manutenção das árvores, concluindo como melhor sugestão: “Suprimir neste momento apenas o indivíduo 4, porém para todas as outras espécies que irão continuar, deve ser desenvolvida estrutura metálica de apoio para reforço, visto que, além dos itens em desacordo identificados, as mesmas já se encontram implantadas em um terreno com certa inclinação”.

Os 4 indivíduos que continuariam devem seguir todas as indicações descritas no Laudo Técnico, de manutenção para recuperação e reabilitação dos tecidos vivos e posterior uma nova avaliação. Ela deve ocorrer num período de 6 meses para a verificação se as árvores responderam aos procedimentos de manutenção efetuadas neste período.

Desta forma o CONDEMA sugere para a supressão de uma das árvores – identificada como 4 no laudo – devido à inclinação intensiva do caule e pela madeira frágil. Além disso, todas as técnicas de manutenção para conservação deverão ser efetuadas impreterivelmente nas demais espécies que não serão suprimidas e a instalação da estrutura metálica de apoio para reforço.

Após essa apresentação ficou definido que apenas uma árvore sofrerá supressão enquanto as demais receberão manutenção de forma integral. 

O Diretor de Departamento de Meio Ambiente Mateus George deixa claro que toda a reunião seguiu o rito dos conselhos, dando a oportunidade de cada membro ou membro da sociedade civil presente dar sua opinião e se por ventura qualquer pessoa tiver o interesse em consultar os 02 laudos e  a RRT de serviço, todos vão estar disponíveis no Departamento de Engenharia.

 

 

Fotos: Mateus George durante a reunião do Condema